Circum-navegação em família, a viagem que não chega ao fim!

     (English version above)
A viagem começou muito antes de soltarmos amarras rumo ao infinito azul, porque sonhar, planear e construir já faz parte da viagem. Nessa fase já se é invadido pela excitação, já se sente o sabor do que aí vem. E quando acaba? Não foi de certeza no dia em que regressamos à Marina de Ponta Delgada, quase dois anos após a partida, porque um mês passada esta data vivemos ainda em função dela, vivemos ligados a esta viagem que não se limita à ação de circum-navegar o mundo com crianças, é maior, é uma viagem interior, de superação de limites físicos, psicológicos e sociais. É uma viagem que ainda se está a fazer e com tanto para nos dar e aos que nos rodeiam. Tivemos o convite do Clube Naval de Ponta Delgada e da parte de  duas escolas para contarmos a nossa história. Tentaremos inspirar os participantes da Space Apps Challenge, numa competição internacional promovida pela NASA, aqui, no NONAGON, na Lagoa 🙂 e mais virão!
    Vivemos tempos de alegria, recheados de reencontros com os amigos, com a família, com os que viajaram connosco através do blog, com os que inspiramos e que tanto nos tocam também. Confrontamos-nos com as crianças tão crescidas, com os edifícios restaurados, com os restaurantes cheios de turistas, com a ilha que também mudou. É bom ver como pelo menos e para já, o alojamento local se sobrepõe à construção de grandes hotéis, o Governo a apostar no desenvolvimento sustentável, a incineradora  que não avançou, o Tremor que já se podia chamar Terramoto! Não está a ser difícil adaptarmos-nos à vida de terra, que embora seja mais complexa que a vida no mar, é também mais recheada de conforto e mãos amigas. A Benita e o Leonardo vão de mãos dadas para escola que escolheram e regressam suados de alegria e novidades para contar. Nós, os adultos, digerimos de forma mais lenta, estamos contentes por voltar mas ainda sem ter a certeza do caminho que queremos tomar. A viagem, que ficará para sempre dentro de nós, ainda está a latejar. Emocionamos-nos a contar as histórias e damos por nós a refletir sobre determinadas experiências que tanto nos fizeram crescer e com outro tanto por dissecar. Percebemos cada vez melhor a dimensão do que nos aconteceu, ou melhor, do que fizemos acontecer! Disse-nos o Jules, o amigo septuagenário inglês, nascido na Eritreia, que conhecemos no Sudão, e que fez connosco a última travessia desta circum-navegação, you have not come into this world to face reality, you have come to create reality!“. Sábias palavras, amigo Jules, nós somos responsáveis pela nossa realidade, por muito estranho e doloroso que isso às vezes possa parecer, e isso dá-nos um poder imenso. Agora sim, acreditamos, que podemos fazer acontecer tudo o que quisermos, e começa-se por sonhar!
Felizes no dia da chegada a Ponta Delgada, Ilha de São Miguel, Açores
English version:

The journey began long before we sailed to the infinite blue, because dreaming, planning and building is already part of the journey. At this stage we were already invaded by the excitement, already feelling the taste of what was about to come. And when does it end? It was certainly not in the day we returned to the Marina of Ponta Delgada, almost two years after the departure, because a month after that date we still live for it, we live connected to this trip that is not limited to the action of circumnavigating the world with children, is bigger, it is an inner journey, of overcoming physical, psychological and social limits. It is a trip that is still going on and with so much to give us and those around us. We had the invitation of the Clube Naval de Ponta Delgada and two schools to tell our story. We will try to inspire the participants in the Space Apps Challenge, an international competition hosted by NASA here at NONAGON in Lagoa 🙂 and there is more to come!

We live in times of joy, filled with re-encounters with friends, with the family, with those who traveled with us through the blog, with people we inspire and touched us so much. We are daily confronted with the grown-up children, the restored buildings, the restaurants filled with tourists, with the island that has also changed. It is good to see how, at least for now, local accommodation overlaps the construction of large hotels, the Government betting on sustainable development, the incinerator that has not advanced, the Tremor that could already be called Earthquake! It is not difficult to adapt to earth life, which although more complex than life at sea, is also more filled with comfort and friendly hands. Benita and Leonardo go hand in hand to the school they have chosen and come back sweaty with joy and news to tell. We, adults, digest slower, we’re glad to be back but still not sure which way we want to go. The journey, which will be forever inside us, is still throbbing. We are excited to tell the stories and think for ourselves about certain experiences that have made us grow. We perceive more and more the dimension of what happened to us, or rather what we made happen! Jules, the septuagenarian English friend, born in Eritrea, whom we met in Sudan, and who made with us the last crossing of this circum-navigation said “you have not come into this world to face reality, you have come to create reality ! “. Wise words, friend Jules, we are responsible for our reality, however strange and painful this may seem at times, this gives us immense power. Now, we believe, we can make everything happen, starting by dreaming!!

(publicado no Jornal Açoriano Oriental a 1/10/2018)

One Comment on “Circum-navegação em família, a viagem que não chega ao fim!

  1. Muito honrados nos sentimos… hoje estou em Leiria pra semana talvez regresse a Monte Gordo… tenho a minha mãe doente em Mirandela…saudades de todos. Pois a nossa aventura é em terra firme… regressamos a continente português…um em Vila Real de Santo Antônio/Monte Gordo e os restantes em Leiria…tal como vocês é a vontade de fazer novas amizades no sentido de saberes que nos movemos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.