Egipto, o que foi já era!…

O Egipto foi uma civilização ímpar no Mundo Antigo e durante muitos anos um destino turístico de sonho, foi tanto e o tanto que foi, já era!…

A nossa estadia de 10 dias no país dá-nos uma visão um pouco mais do que superficial saliento, mas a sensação que este incrível país nos deu foi de decadência e de involução, lamento!…

É inegável o valor e o interesse de tanta História e Arqueologia a céu aberto, a simpatia do povo e a sua riqueza cultural, o mar saudável, cheio de peixe, que saúda belas praias de areia dourada mas é também um país sobrepopulado, sobreedificado, sobrempoeirado, lamento!…

Passamos pelo Cairo, pela Alexandria e por Suez, onde atravessamos o famoso canal que nos levou ao Mar Mediterrâneo. Cidades de tamanhos bem diferentes, a primeira com 24 milhões, a segunda com 5 milhões e a terceira com cerca de meio milhão de habitantes. As três envelhecidas, barulhentas e fedorentas, lamento!…

Gostamos de visitar as famosas pirâmides de Gizé quase sozinhos, partilhar o Museu do Egipto com quase ninguém e a nova biblioteca da Alexandria com meia dúzia de turistas. Gostamos dos preços simpáticos da hotelaria, da restauração e dos transportes, e sentimos-nos seguros, já que por todo o lado fomos revistados e bem guardados. Adoramos os tradicionais e tão genuínos mercados nocturnos que fogem do ardente calor diurno, gostamos dos cardápios diferentes e baratos, da alegria e da descontracção egípcia. Surpreendemos-nos com a dificuldade em encontrar gente que falasse inglês, mesmo tendo sido este país uma colónia de Sua Majestade e noutros tempos tão cheio de turismo. Surpreendemos-nos com o envelhecimento de quase tudo. São os restos da sobreexploração turística, que invariavelmente usa, deita fora e não melhora, e é a instabilidade política e económica que por ali se vive há tanto tempo. Há 8 anos iniciaram um processo de revolução, lutavam pela liberdade, pelo emprego, por melhores condições de vida. Um jovem egípcio desabafou que agora estão tão mal ou pior. O desemprego aumentou, a ditadura continua, o povo sente-se igualmente oprimido. O Presidente alugou as pirâmides de Gizé por 20 anos aos Emirados Árabes Unidos, “Já não são nossas! O maior símbolo do Egipto, a nossa identidade agora pertence aos Emirados por 20 anos!” disse-nos indignado o informático que vende souvenires caducos numa das muitas lojas iguais que inexplicavelmente ainda se mantêm abertas.

Não foi isto que os meus pais virão e sentiram há 30 anos quando aqui vieram… Não era bem isto que esperávamos de ti, ó Grande Egipto!… Lamento!

Necrópole de Gize

 

Museu do Egito

Vista da Alexandria da torre da citadel de quaitbay

nova biblioteca da Alexandria

 

One Comment on “Egipto, o que foi já era!…

  1. Deixo-vos a minha alegria em ter noticias de algo fantástico que vocês estão fazendo. Provavelmente revejo-me em terra na vossa fantástica aventura e na felicidade que a vossa família espelha. Que tudo vos corra da melhor maneira . Saudações náuticas, Manuel Ventura, Junho 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *