Uma Green School numa selva de plástico!

A necessidade desenvolve o engenho e com certeza não foi coincidência que a Green School tenha nascido em Bali. Esta ilha da Indonésia é o perfeito e mais triste exemplo do que a sobrexploração turística faz a uma ilha paradisíaca… O mar é o mais poluído que já vimos nesta meia volta ao mundo e em terra, parece que os “homens do lixo” estão de greve há anos!…

À primeira vista Bali encanta, as praias ao longe são lindas, o verde vinga em qualquer cm2, o misticismo do hinduísmo e a incrível oferta turística quase nos cegam. Mas por muito que o entusiamo iluda sente-se a poluição do ar, vive-se o trânsito diariamente caótico, vê-se o lixo pelas ruas e cheira-se a podridão do mar…. Já são 40 anos de turismo desenfreado e o processo deve ter sido tal maneira gradual que os habitantes parecem conformados com o que lhes resta e continuam a pedir mais turistas… Não estão informados de que as suas maiores riquezas lhes foram roubadas – a paz e a saúde!…

 

Li um artigo científico de que não há um exemplo de uma localidade que depois de explorada turisticamente tenha ficado melhor e, no entanto, essa é a aposta de Portugal e dos Açores… dizem que é o Nosso destino!! Medo, agora, dá-me medo… Também aqui gritam Sustentabilidade, Ecologia e Biodegradável aos sete ventos… E também aqui o dinheiro está acima de tudo isso…

Mas nem tudo é mau e a esperança acende velas novas todos os dias. Foi em Bali que surgiu a Green School em 2008, uma escola toda feita em bamboo no meio da selva, onde a Ecologia, o Biodegradável e a Sustentabilidade se juntam à Empatia, Confiança, Responsabilidade, Integridade, Equidade e Paz para erguerem os seus pilares. Uma escola sem paredes que está a educar cerca de 400 crianças de 31 nacionalidades para serem pensadores e atores na proteção e preservação ambiental deste nosso planeta. Falam de educação holística, empreendedorismo social e aprendem por projetos. Vimos alguns, uma estufa-laboratório de hidropónica que aproveita a água de uns velhos lagos de peixes para cultivar legumes, todo desenvolvido por alunos, o autocarro escolar que anda com o óleo da cozinha (transformado em biofuel, que por sua vez depois de usado se transforma em glicerina e com a qual fazem sabonetes e detergentes que usam na escola), a estação de divisão do lixo e a zona de compostagem, também geridas por estudantes. À entrada têm uma loja aberta ao público de venda de roupas e artigos em segunda mão, para salientar a prioridade da reutilização e suprir necessidades da comunidade. Sim, também têm preocupações e projetos comunitários, qualquer um pode ir à escola abastecer de água potável, filtrada pela escola, disponibilizam aulas de inglês quase-gratuitas (em troca de meia dúzia de kg de lixo recolhido na comunidade, para sensibilizar) e as crianças locais podem recorrer a bolsas de estudo, financiadas por mecenas e pelas visitas dos turistas à escola.

 

E muitos outros projetos ambientais lutam diariamente nesta ilha para fazer frente à corrente. Mas nenhum arquitetonicamente tão bonito 😉

6 Comments on “Uma Green School numa selva de plástico!

  1. Obrigada Joana por partilhar, é realmente uma Escola muito interessante, onde eu um día tive o sonho de que a minha filhota Luana puedesse viver pelo menos 1 año essa experiencia, más infelizmente é só para algunos de pais com estatutos sociales altos, ou seja dinheiro!
    Afinal, tudo gira sempre á volta do dinheiro…

  2. Procuro sempre com muito interesse os vossos posts sobre esta admirável aventura. E também no FB vejo com regularidade a vossa página. A vossa coragem e sentido da natureza e humanidade são um exemplo.

    Mas ao ler este ultimo post pergunto como ficaram tanto tempo em Bali, atendendo aos problemas que relatam?

    Desejo-vos um resto de viagem fantástico !
    Abraços
    Carlos Azevedo

    • Obrigada Carlos, pela sua atenção e pelo comentário, sim, quem nos conhece também estranhou 😉 há motivos! Fomos para Bali por ser o ponto da Asia onde fica mais barato voar para a Europa e em novembro fiz questão de abraçar a minha mãe pelo seu 70º aniversário, no Porto! Só por esse motivo é que paramos em Bali, já que normalmente evitamos locais tão turísticos.. Quando regressamos a Bali, um mês depois aproximava-se o Natal e quisemos passa-lo em terra, fomos para Ubud e sem dúvida que foi uma boa escolha. Adoramos Ubud e como disse antes, apesar do grave problema de poluição, Bali tem os seus encantos 😉 A seguir às festas tivemos de permanecer em Bali pois foi lá que filmamos uma publicidade documental, uma surpresa para breve!! Mal as filmagens acabaram tiramos o barco para terra para manutenção dos motores (mudança de óleo) e limpeza e pintura dos cascos, que parados tanto tempo naquelas águas poluídas ficaram num estado lastimável!! Findas as obras, zarpamos de imediato à procura de paraísos naturais e genuinidade, que é o que realmente adoramos! 🙂 Bjinhos,
      Joana

  3. Olá Joana, tenho seguido o seu percurso desde a saída da nossa ilha. Fico com uma inveja saudável.
    Leio as suas publicações, e vejo-me totalmente rodeada de aventura, como se fosse eu na primeira pessoa.
    Continuação de uma boa viagem e excelente aventura.
    Olga.

    • Muito obrigada Olga, gostamos de saber que inspiramos e fazemos sorrir!

  4. Quando regressarem aos Açores, façam deste aspecto (lixo..), uma das vossas batalhas.
    Tenho muito medo, do que vai acontecer aos Açores, pois gritam aos sete ventos, as palavras sustentável, prémios, e afins, mas eles não sabem nada. Nada e apenas estão de olho no dinheiro…

    Boa viagem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *