A odisseia do regresso!

Depois de um belo mês em terras lusitanas, onde além de saciarmos saudades crescemos mais um pouco, no dia 10 de dezembro voltamos ao aeroporto Francisco Sá Carneiro. O Ana já dava ares da sua graça, mas foi um atípico nevão em Amesterdão que fez atrasar cinco horas o nosso voo. Por causa disto, quando chegamos á terra das tulipas, o voo para Singapura já tinha partido… O aeroporto estava um caos e o manto branco fez a KLM cancelar todos os voos. O cenário era caótico, uma fila de 200 pessoas para obter qualquer informação da KLM, outra de 300 para reservar hotéis. Passageiros stressados e funcionários sem respostas… E porque felizmente as crianças nos “pedem” autocontrolo sentei-me em frente a um parque infantil vazio, para eles brincarem enquanto eu procurava a solução no google! Minutos depois, o funcionário de um hotel do aeroporto, que antes me tinha dito ter tudo lotado, veio ter comigo. Quis ajudar-me, esperava o cancelamento de uma reserva em breve e disse-me que esperasse ali mais um pouco. 15 minutos depois fui ter com ele, as ditas reservas não foram canceladas, mas ele fez-me uma reserva num hotel no centro de Amesterdão. Aliviada, já que corria entre os passageiros que Amesterdão estava “cheia”, agradeci-lhe pela sensibilidade e ajuda e ele ainda nos ofereceu duas garrafas de água, que custavam 3,50€ cada uma!

Decidi – Vamos dormir e amanhã tudo se resolve! Sem bagagem, dirigimo-nos para a saída, quando de repente entramos num salão com cerca de 400 pessoas para mostrarem a identificação e saírem do aeroporto… já passava da uma da manhã e eu tive um ataque de riso, incompreendido pelos meus filhos! À boa moda portuguesa fui conversando com os meus vizinhos de espera, com histórias parecidas á minha, sem a agravante das duas crianças… Um amável holandês ofereceu-se para procurar no seu telemóvel informação sobre a remarcação do meu voo, já que a net que eu tentava usar, a do aeroporto, não funcionava. O meu receio era que o nosso voo fosse de manhã cedo e nós o perdêssemos por falta de informação, e à possibilidade de o remarcar também!… Não descobriu, mas mais uma vez apreciei a gentileza e a pura vontade de ajudar. Depois da interminável fila, quase à saída do aeroporto vi três senhoras da KLM e fui tentar a minha sorte. E desta vez, ganhei!! Uma delas levou-nos para um dos balcões já encerrados da KLM e remarcou-me o voo para as 20:50 do dia seguinte 😊.

 

Contentes, com o problema resolvido e a possibilidade de desfrutar do nevão e da aliciante Amesterdão, fomos procurar um táxi. A senhora da KLM também nos informou que a companhia aérea se iria responsabilizar pelo transtorno pagando hotéis, transportes e refeições. E como todos procurávamos o mesmo, a fila para os táxis não era diferente das outras… E porque até num país civilizado como a Holanda há aproveitadores, haviam homens a oferecer serviço de transporte pelo triplo do preço… A mim pediram-me 80€ e com vontade de o insultar, disse simplesmente que NÃO!

O chão estava cheio de gelo e nós calçados e vestidos para ir para Bali!!… Não podíamos ficar uma hora ao frio… fui procurar um autocarro e bingo outra vez! 5 minutos depois estávamos num autocarro vazio e climatizado que por 7€ nos deixou aos três a dois minutos do hotel! Demos entrada e já só faltava jantar. A cozinha estava fechada, apontaram-nos o bar quase a encerrar. Pedi 3 copos de leite, já que não tinham nada para comer…  Copos que a simpática holandesa também nos ofereceu porque esta bebida não constava do cardápio!! 😉 Agradecemos e fomos dormir.

O hotel, de excelente aparência, era afinal um hostel, sem toalhas e com camas por fazer! Um mal menor. Era limpo, quentinho e basta! Ao lado tínhamos o Vondelpark todo branquinho! E apesar da nossa roupa e calçado não serem os adequados, no dia seguinte compramos barretes e fomos curtir a neve. A alegria de ver nevar a sério!! Fizemos um boneco de neve e divertimo-nos atirar bolas de neve para um lago quase gelado 😊. Voltamos para o hostel para secar as únicas roupas que tínhamos e o funcionário do hostel ofereceu lápis de cor e livros de atividades infantis á Benita e ao Leonardo, que ainda não os largaram!!

 

Ao fim do dia voltamos para o aeroporto coberto do dito branco fofo. Será que há voo hoje? Atrasou duas horas, mas houve 😊 e cerca de 13 horas depois aterramos em Bali, onde já era noite outra vez. Foram mais de 48 horas em viagem que nos mostraram, mais uma vez, como o mundo está cheio de gente boa! E que do cenário mais assustador se pode tirar tanto de bom😉

 

6 Comments on “A odisseia do regresso!

  1. Joana,

    Adorei ler o teu diário!
    Que bom que é termos gente positiva como tu neste mundo!
    Já tive uma experiência parecida com a tua é realmente tudo se resolve com autocontrole da nossa cabeça.
    Os teus filhos acabaram por ter uma experiência que nunca irão esquecer….. da neve em Amsterdam para o calor em Bali…. uma aventura em 48h!
    Adorei ter cá o Armindo! Os elogios que te faz são muitos!
    Mil beijos e FELIZ NATAL 🎄🎁
    Isabel

  2. 🙌💓🌠😘
    Lindo!! Sempre encontramos Boas pessoas!! Beijinho continuação de bons ventos!!

  3. Grande aventura, sempre a tirar dividendos positivos, continuação de boas viagens e bjs a todos!

  4. Olá, amigos! Não é só o mar que nos faz disparar a adrenalina! A aventura não para e neste caso nem foi preciso pagar pela experiência!
    Gostei imenso de saber de vocês e desejo a todos um bom Natal recheado de boas experiências! Beijinhos e continuação de boa viagem!

  5. Adorei ler o seu documentário. Sem duvida irei segui-lo. Tenho curiosidade sobre o resto da viagem, nomeadamente a travessia do mar vermelho… hihi!
    Adorava ter coragem para uma viagem assim. Inveja saudável 🙂 🙂

    • Obrigada Olga pelo comentário, gostamos muito de saber que inspiramos e trazemos mais alguém para esta viagem 🙂 boas entradas e um excelente 2018!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.