7 pontos para melhorar a comunicação connosco e com os outros

Está a fazer 1 ano que velejo pelo mundo com a minha família. E desde o início desta aventura que sei que o maior desafio que enfrentamos, é o relacional – conseguirmos conviver, em qualidade, tanto tempo, sempre juntos, num espaço confinado, num ambiente sempre em mudança. E porque a necessidade desenvolve o engenho, durante esta viagem tenho aprofundado o meu estudo sobre a Nonviolent Communication de Marshall Rosenberg – especialista mundial na mediação de conflitos – e partilho aqui, 7 pontos que nos têm ajudado e que vos poderão ajudar também 😊

1.Tudo o que as pessoas fazem está ao serviço das suas necessidades.

Não há bons nem maus, certos ou errados, apenas pessoas com necessidades diferentes.

2. Cada um deve ser responsável pelas suas ações e sentimentos.

É comum dizermos que estamos zangados ou tristes pelo que nos fizeram, responsabilizando os outros pelos nossos sentimentos, mas o princípio está errado. Imaginem que combinaram um encontro com um amigo e ele vos deixa uma hora à espera na esplanada. Podem sentir-se chateados porque tinham outras coisas para fazer e gostavam de rentabilizar melhor aquele tempo, ou poderão sentir-se bem porque estavam mesmo a precisar de um tempo sozinhos, tranquilos, ao sol. Portanto, não é o que os outros fazem que nos provoca os sentimentos, mas sim a forma como o interpretamos.

3. A forma como nos expressamos influência o modo como a mensagem é recebida pelo outro.

Criticar, julgar, comparar, generalizar só vai provocar resistências no outro, logo, funciona melhor se expressarmos os nossos sentimentos, assumindo a nossa responsabilidade por eles, e só depois, pedir alguma colaboração ou mudança – “Perante…. (um acontecimento concreto), eu sinto-me … (expressar o sentimento) porque eu preciso de … (expressar a necessidade) e por isso peço-te que … (fazer um pedido concreto)”

4. Se fizermos algo de mal, procuremos perceber que necessidade queríamos satisfazer com aquele comportamento, poderão haver outras maneiras de chegar lá.

O mesmo se aplica aos outros, mais importante do que julgar é compreender que por detrás do comportamento do outro está uma necessidade, que podemos ajudar a satisfazer.

5. Ao fazermos um pedido é fundamental verificar se não é uma “ordem camuflada”.

Estamos a dar opção ao outro de recusar? O outro fica em paz se nos disser que não? Porque só devemos satisfazer as necessidades dos outros por compaixão, nunca por medo, culpa ou vergonha.

6. Expressarmo-nos pela positiva resulta melhor para os dois lados!

Em vez de dizermos aos outros o que não queremos que eles façam, experimentemos dizer o que gostávamos que fizessem – orienta-os melhor. Em vez de dizer simplesmente que não, expressar que necessidade nossa, nos impede de dizer que sim – compreendem-nos melhor!

7. Agradecer não basta.

Expressar gratidão dizendo que necessidades nossas foram satisfeitas com aquela ação ajuda o outro a compreender-nos e tem muito mais impacto do que um simples, obrigada!

IMG_3780

Parece simples, mas não é!!… 😉

5 Comments on “7 pontos para melhorar a comunicação connosco e com os outros

  1. Excelente reflexão, Joana. Às vezes é bom parar para pensar, porque todos nós fazemos coisas aparentemente inofensivas e sem refletir nas suas consequências. Eu, por exemplo, talvez tenha que trabalhar melhor os pontos 3 e 5 na relação com a minha filha. Obrigado.

    • Gosto muito de receber “comentários”, sentir que fiz sentido ou toquei em alguém que não conheço, mas o seu foi particularmente lisonjeante porque sou sua fã 🙂 obrigada!

  2. Artigo para ler, reler e partilhar. Dicas aparentemente simples mas tão difíceis de conseguir seguir. Vou imprimir, escolher três e trabalhar nelas! Obrigad Joana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *